Quando Deus decidiu criar-me

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×
Quando Deus decidiu criar-me
a palete celestial perdera o colorido:
sem tintas brilhantes para pintar-me
usou aguarelas de tom esbatido.
Os pincéis, já corroídos pela idade
traçaram o esboço em suave matiz
de um corpo sem venustidade
mas perfeito para ser feliz.
No beijo omnipotente de vitalidade
insuflou-lhe a minha alma graciosa
emoldurando-a na natureza amorosa.
E o que faltou na feição de beldade
soçobrou em sensível percepção
do mundo, dos seres, da evolução.
Esta entrada foi publicada em Poesias. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *