Arquivos Mensais: Abril 2017

Amor sem distância

Olhei… os dedos dos pés descalços sobre a relva húmida do orvalho da manhã, sorviam, como palhinha, a energia da terra, pelo corpo inteiro. Estava prestes a levantar voo. A alegria fez-me levitar, suavemente, enquanto um formigueiro envolveu-me na luz … Continuar a ler

Publicado em Poesias | Deixe o seu comentário

The love birds

Há quatro anos, tive seis agapornis, conhecidos como os “pássaros do amor”, ou os “pássaros enamorados”. Apaixonei-me pelas suas cores, pela vivacidade e, sobretudo, pela afeição que estabelecem com os cuidadores. Senti-los sob a palma da minha mão, a debicar … Continuar a ler

Publicado em Blogue | Deixe o seu comentário

Amanhecer no campo

Silêncio. O céu ilumina devagar sob os montes adormecidos. Fingem-se quietos, esquecidos, enquanto o Sol os beija ao despertar. Corre no tempo suave brisa que, aos poucos, faz desvanecer as estrelas que cobriram o anoitecer cuja luz e fulgor agora … Continuar a ler

Publicado em Poesias | Deixe o seu comentário

Espuma do mar

A espuma do mar tem esta condição: levar a todo o lugar as histórias da vida dos homens as suas angústias, perdas e dores, a ilusão dos desamores, os desencantos que ferem sem rosto. Mas, a cavalo das ondas, na … Continuar a ler

Publicado em Poesias | Deixe o seu comentário

O amor, a vida e a imortalidade

Foto: sunday morning. Foz. Porto. “Como um cubo de rubik, o amor pode ter múltiplas faces – disse – e há quem diga que ele se reveste de muitas linhagens, assim como existem tantos tipos de pessoas e as suas … Continuar a ler

Publicado em Blogue | 2 Comentários

Anoitecer na cidade

Sirenes, motores e passos apressados marcam o compasso citadino. “Para onde segues?”, “qual o teu destino?”, todos se cruzam, todos atrasados. Ninguém se conhece, até a noite cair num manto de sombras congeladas, de paredes sem cor, ostracizadas, ocupadas pelos … Continuar a ler

Publicado em Poesias | Deixe o seu comentário

Entre as flores

São milhares as flores que pintam o nosso planeta em tantos tons e cores quantas as que a imaginação consegue sonhar. As rosas, tão vistosas e elegantes, são as eleitas dos amantes. As tulipas, luxuosas, refinadas em cada traço conquistam … Continuar a ler

Publicado em Poesias | Deixe o seu comentário